Quem sou eu

Minha foto

Uma pessoa abençoada por Deus pela família e profissão que tem...

domingo, 27 de janeiro de 2013

PRECARIEDADE DE SERVIÇOS A USUÁRIOS DE CRACK E OUTRAS DROGAS NO RN

COMO NÃO SE PREOCUPAR E TB REVOLTAR-SE COM A FALTA DE PLANEJAMENTO E AÇÕES LIGADAS A QUESTÃO DE DROGAS, , vejam essa reportagem a situação do RN:


"Rede de Caps tem 11,2% do que preconiza o MS
Publicação: 25 de Janeiro de 2013 às 00:00

O Rio Grande do Norte continua distante de oferecer uma rede eficiente de assistência e tratamento a viciados em drogas. No Estado, o único hospital responsável pela desintoxicação de dependentes, o João Machado, tem apenas 16 leitos de internação, todos ocupados. Em outra frente de atendimento, administrada pelos Centros de Atenção Psicossocial (Caps), o trabalho também é limitado: a rede de Caps instalada no RN equivale a apenas 11,2% do que preconiza o Ministério da Saúde. São sete unidades espalhadas pelo Estado, quando o mínimo estabelecido pelo MS é de um Centro a cada 50 mil habitantes, ou seja, considerando a população potiguar (de 3.168.027, segundo Censo 2010/IBGE) seriam necessários, pelo menos, mais 56 Caps para cobrir o território potiguar.
Emanuel Amaral
Em média, 200 atendimentos mensais são realizados em cada Caps

"Nossa situação é muito precária, principalmente quando observamos a necessidade da população", disse o coordenador da Saúde Mental do RN, Adriano Araújo. Segundo ele, cerca de 200 atendimentos são realizados por mês em cada Caps - entre palestras, consultas e liberação de medicamento - , o que sobrecarrega as unidades e exclui outras pessoas em situação vulnerável. 

Para combater essa deficiência, o coordenador conta que está divulgando a informação, junto aos prefeitos, sobre a necessidade de solicitarem, ao Governo Federal, os recursos necessários para implantação dos centros em suas cidades. "O dinheiro é federal, mas a gerência é do município, por isso tem de haver interesse dos gestores", disse ele. Macaíba, Mossoró, Macau, Parnamirim e Nova Cruz possuem, cada uma, um Caps. Em Natal funcionam duas unidades. A próxima cidade a ganhar um centro de recuperação é Caicó, com previsão de início dos trabalhos já no segundo semestre. 

Até o fechamento dessa reportagem, não conseguimos ter acesso às informações sobre o funcionamento dos Centros. A Secretaria Municipal de Saúde de Natal não liberou o acesso aos Caps da capital, situados na zona leste e na zona norte. No Hospital Dr. João Machado, a alta demanda impede que um paciente permaneça internado por mais de 15 dias, período abaixo do qual um tratamento de desintoxicação pode ser comprometido. 

Na rede privada, o quadro é melhor, mas longe do ideal. O Estado conta hoje com 38 comunidades terapêuticas, onde vivem cerca de 700 dependentes. Para o presidente da Federação das Comunidades Terapêuticas do RN, Marcone Pereira, o trabalho tem avançado, embora com muita dificuldade. Marcone acrescenta, porém, que o Governo tem se mostrado interessado em contribuir, prometendo, inclusive, o repasse de verbas para as instituições. 

RN pede inclusão em programa de combate ao crack

Segundo o presidente do Conselho Estadual de Entorpecentes (Conen), Magnus Barreto, o governo estadual solicitou a participação no programa nacional "Crack, é possível vencer", que fortalece, através do envio de recursos federais, as ações para aumentar as campanhas de prevenção, a oferta de tratamento de saúde aos usuários drogas e enfrentamento das organizações criminosas. "Quando a nossa solicitação for atendida, teremos noção da quantia a ser utilizada, e dos projetos a serem viabilizados". 

Magnus acredita que só uma integração entre poder público, iniciativa privada e outras instituições (como o Rotary Club e Escoteiros) poderá concorrer para solução do problema. O Estado, segundo ele, precisa atuar em quatro frentes: a prevenção, uma repressão mais rigorosa, o tratamento e a reinserção do dependente na sociedade. "Se não seguir esses passos, dificilmente o indivíduo será recuperado", completou. 

Dependente de crack, Ecleiton Farias, 31 anos. tenta o tratamento pela segunda vez. A saída que ele encontrou foi procurar o projeto RNVida, do Conem. Ao chegar na sede do programa, em Natal, ele foi avaliado por um assistente social e por um psicólogo, procedimento que é oferecido a todos os dependentes que procuram o programa. "Dependendo do caso, direcionamos, em seguida, o paciente para um comunidade terapêutica ou para o Hospital João Machado, quando há vagas", explica uma representante do RNVIDA. 

Ecleiton espera que, dessa vez, consiga superar o vício, que o atormenta há mais de 5 anos. "Experimentei incentivado pelas más companhias. Mas agora vou me distanciar delas e esperar pelo melhor", disse. Segundo dados do Ministério da Saúde, 0,7% da população brasileira é viciada em algum tipo de droga ilegal. Levantamento realizado pela Confederação Nacional dos Municípios em 4.430 das 5.565 cidades brasileiras mostrou que o crack é consumido em 91% delas. No Rio Grande do Norte, dos 121 municípios pesquisados foi constatado a incidência do crack em 108. 

Quando o assunto é Segurança Pública, o grande vilão da polícia tem sido o tráfico de drogas com ramificações em todo o RN. De acordo com dados das Polícias Militar, Federal e Rodoviária Federal, mais de 3.071 kilos de drogas foram apreendidos em 2012 no Estado, entre maconha, cocaína e crack. 

Serviços

Natal - Caps
- Caps zona leste
Rua Monsenhor Severiano, 443 - Petrópolis
59020-080 Natal - RN (84) 3232-8565

Capsadii@ig.com.br
- Caps zona norte
Av. Paulistano, 2109 - Potengi - Conjunto Panatis I - Zona Norte
59020-080 Natal - RN (84) 3232-8232 3232-8233

Para informações sobre os outros Caps, ligue para: (84) 3232-8513

Ceará-Mirim - Unidade 

Nova Canaã
Sítio Mangabeira, Zona Rural, Ceará-Mirim-RN. (84) 8872-4786/8801-8426"


Lucynara Santos PSICÓLOGA-CRP17/1559 e-mail/contato: ynaralu@bol.com.br

sábado, 25 de agosto de 2012

Homenagem a todos os psicoterapeutas!



EU PSICOTERAPEUTA, EU APRENDIZ...

Empresto-te os meus ouvidos e você nem percebe que isso é somente para que você escute a si mesmo (a)...
Com isso eu aprendo que o mais importante não é o que falo, mas àquilo que escuto, a maneira como ouço e compreendo as coisas, as pessoas, os fatos e os sentimentos!
Às vezes te empresto também a minha voz, não apenas para quebrar o silêncio, pois este é às vezes o nosso melhor aliado, mas para te mostrar o quanto é valioso a auto-expressão, ainda que isso não ocorra pela boca, pois o nosso corpo também pode falar...
Percebo que nem sempre eu tenho as respostas certas ou as verdades que você tanto busca. Então descubro que novamente devo visitar o silêncio e que é preciso simplicidade para não tornar a vida ainda mais complexa!
Quando nos encontramos tomo emprestada a mim mesma, todas as técnicas e métodos que um dia me foram ensinados para ajudar alguém...
Com isso logo me frustro também, pois percebo que para entender e ajudar o outro eu preciso primeiro encontrar sua alma!
Nesse encontro de almas eu suponho, que talvez agora eu possa realmente representar tudo para você...
Com isso eu mesma acabo esquecendo que ninguém deve depender emocionalmente de ninguém, pois para crescer é preciso sentir-se livre! É claro que ao caminhar junto a você, passo a ocupar um lugar especial na sua vida, mas é preciso coragem para despedir-se com amor!
Não raro, essa despedida não acontece de forma tão natural, pois despedir-se trás sempre um pouco de nostalgia, medos e dor...
Com isso eu aprendo que ainda preciso emprestar-te um pouco mais da minha coragem para enfrentares os teus medos e tuas fantasias ao ter que seguir sozinho. Feito isso, eu começo a acreditar que já ensinei tudo que você deveria saber sobre a vida e as relações humanas!
A partir daí a minha vaidade entra em cena, e corro sérios riscos de ver-te como um troféu, como minha própria conquista e construção...
Com isso eu preciso acima de tudo olhar, escutar e falar para mim mesma que na vida o que realmente vale a pena não é o que fazemos pelo outro, mas o quanto foi possível fazer por nós mesmos através desse outro! Tudo isso porque é no encontro e na troca plena que a vida acontece... E se hoje sou bom psicoterapeuta agradeço a você cliente, por ter permitido que eu caminhasse junto a você!
Ah, e para saber quando uma relação acaba bem? Basta perceber que voltamos a gostar de si mesmo(s), e já não esperamos tanto do outro para seguir adiante...

27 de Agosto – DIA DOS (AS) PSICÓLOGO(AS)!

Para referir:

SANTOS, Francisca Lucynara A. EU PSICOTERAPEUTA, EU APRENDIZ - in. Internet, disponível em http://psicologiamor.blogspot.com/, postado em 25 de Agosto de 2012.



Lucynara Santos PSICÓLOGA-CRP17/1559 e-mail/contato: ynaralu@bol.com.br

sábado, 4 de agosto de 2012

No Brasil, a Psicologia faz bodas de ouro!



Lucynara Santos - Psicóloga e Psicopedagoga

No Brasil, a Psicologia faz bodas de ouro
            Em nível mundial a Psicologia já data de longos anos, tudo começou quando ainda tínhamos os conhecimentos da área psi totalmente ligados à Filosofia. No século IV a.C, o filosofo medieval Aristóteles criou o termo “psicologia” para designar a parte da Filosofia responsável por estudar a alma humana, enquanto àquilo que não se pode ver, nem tocar, mas que interage com o corpo, eis que surgem as primeiras manifestações de interesse em explicar aspectos metafísicos da natureza humana.
            Lembrando que até então, não havia qualquer interesse ou tentativa de desvincular a psicologia da filosofia, o que só aconteceu muitos anos depois, quando Wundt cria o primeiro laboratório de psicologia, na cidade de Leipzig na Alemanha em 1879, marcando deste modo, o início de uma nova fase da psicologia, que passou a ganhar caráter técnico - cientifico, e não mais como uma das formas de especulação e/ou contemplação filosófica a respeito do homem e da vida...
            Em meio a um contexto social, econômico e cultural cada vez mais propício, foi especialmente no ocidente, que advinham diversas descobertas e condições ideais para que a psicologia fosse construindo seus próprios conceitos e métodos que viriam explicar e modificar os comportamentos humanos. Naquela época essas questões ainda estavam muito interligadas aos conhecimentos das ciências naturais como a medicina, e no âmbito da educação, ambos tentavam respectivamente “dissecar” a alma humana porque deste modo seria possível “facilitar a vida” através da manipulação de comportamentos, após diferentes experimentos que envolviam o condicionamento animal e humano.
            No Brasil não foi diferente, em 1933 os primeiros estudiosos da Psicologia se encontravam nas faculdades de medicina do Rio de Janeiro e da Bahia, e ainda sem qualquer sistematização que garantisse a independência da psicologia enquanto ciência e profissão, foi somente no final do século XIX e inicio do século XX, com o advento e ápice da sociedade industrial/capitalista que o próprio contexto sócio-educacional requer a construção de uma psicologia enquanto profissão, era preciso dar vazão a crescente necessidade de pesquisas sobre o comportamento humano para assim poder “treinar” o mais rápido e em maior número possível de pessoas para atender às necessidades de pesquisas sobre as capacidades de desempenho humano e assim atender às exigências do mercado capitalista, onde o homem deveria produzir como uma máquina e multiplicar lucros. Sim, neste sentido, a psicologia realmente contribuiu para essa concepção mecanicista de homem...
            Na década de 50, ganha força os movimentos em favor da institucionalização da profissão e de sua confirmação legal/jurídica , sendo em 27 de Agosto de 1962 criada a lei nº 4119/62 regulamentando o exercício da profissão no Brasil. Além disso, através do parecer nº 403/62 fixou-se o currículo mínimo e a duração dos cursos de graduação em psicologia, os quais haviam iniciado em 1960 e as pós-graduações em 1970. É (...),  o percurso não foi muito fácil, a psicologia ainda é uma jovem senhora, que nem sequer tem ainda um digno piso salarial, nem uma carga horária justa, mas como não dizer que tudo valeu a pena? Este ano de 2012 a psicologia completa no Brasil o seu cinqüentenário, faz bodas de ouro e merece ser reverenciada, porque afinal, são 50 anos de (re)construção, e de lá para cá não mais nos restringimos ao campo das especulações filosóficas, nem tampouco à pura lógica do mercado capitalista, lutamos desde as décadas de 70 e 80 pela reforma psiquiátrica e adentramos com vigor no ramo das políticas públicas. 
           Segundo a revista Ciência e Profissão, em 1980 existiam 17 mil psicólogos, hoje somos mais de 220 mil profissionais que aprende e reinventa a cada dia, muito mais que conceitos e teorias sobre o homem e suas relações. E nunca é demais lembrar que precisamos acima de tudo, reinventar a nós mesmos para conseguir lidar com a imensa pluralidade da vida, das pessoas e das relações. Crescemos e reinventamos tanto que não cabemos mais só na psicologia clinica, ou só na psicologia educacional, ou na organizacional. Estamos nestes campos, mas também estamos no esporte, no trânsito, no setor jurídico, no público e aonde quer que existam pessoas, desejos e relações...
 Parabéns psicólogos do Brasil e do mundo!

        Lucynara Santos PSICÓLOGA-CRP17/1559 e-mail/contato: ynaralu@bol.com.br

Para referir este texto:

SANTOS, Francisca Lucynara A. No Brasil, a Psicologia faz bodas de ouro - in. Internet, disponível em: http://psicologiamor.blogspot.com/, postado em 4 de Agosto de 2012.




domingo, 3 de junho de 2012

Texto simples e muito bacana, vale a pena compartilhar sua leitura...

O adoecer - a visão sistêmica das Constelações Familiares de Bert Hellinger



"E embora em nossa mente física não possamos estar cientes do motivo donosso sofrimento, que pode nos parecer cruel e injustificado, nossas Almasconhecem todo o propósito, e estão nos guiando para que tiremos de tudo omáximo proveito." 
Edward Bach


A Constelação Sistêmica Familiar é uma abordagem fenomenológica terapêutica fundamentada nas descobertas do pensador alemão Bert Hellinger.

De onde veio e o que é Psicologia?!




Lucynara Santos PSICÓLOGA-CRP17/1559 e-mail/contato: ynaralu@bol.com.br

sexta-feira, 18 de maio de 2012

DIA 18 DE MAIO - DIA NACIONAL DE DUAS GRANDES CAUSAS/LUTAS!


Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes completa 12 anos

 O dia 18 de maio é a data em que se comemora a publicação da Lei nº 9970/2000, que institui o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. A lei foi publicada em razão do assassinato da menina Araceli Cabrera Sanches Crespo, em Vitória (ES), no dia 18 de maio de 1973. Seu corpo foi encontrado seis dias depois, desfigurado e com marcas de abuso sexual.
Todos os anos, o Conselho Federal de Psicologia (CFP) destaca a importância de lembrar a data como forma de mobilizar a categoria e também a sociedade. Sandra Amorim, conselheira do CFP, aponta que a defesa dos direitos humanos de crianças e adolescentes tem sido debatida em vários campos políticos, o que demonstra interesse de instâncias governamentais e não governamentais em combaterem a violência sexual contra crianças e adolescentes. “O assunto vem sendo discutido em várias áreas, como Saúde, Educação, Assistência Social e isso promove um avanço na luta contra violência sexual de crianças e adolescentes”, completa.
Para a conselheira, apesar dos 39 anos do assassinato da menina Araceli e os 12 anos de existência da lei, ainda há muito a ser discutido. “Sem dúvidas temos muito a caminhar, mas indiscutivelmente conquistamos avançamos no campo das políticas públicas, a partir do ECA [Estatuto da Criança e do Adolescente]”.
A data mobiliza grande parte da sociedade, além de servir como alerta e comprometimento para reduzir casos como o da menina Araceli e de várias outras crianças e adolescentes do Brasil. Para Sandra Amorim, quando a sociedade finge que não vê algo acontecendo, fica mais difícil minimizar a violência.

18 de maio: Dia Nacional de Luta Antimanicomial

No II Congresso Nacional de Trabalhadores da Saúde Mental realizado em 1987, na cidade de Bauru/SP, profissionais da saúde mental, cansados do tratamento desumano e cruel dado a usuários do sistema de saúde mental, organizaram o primeiro manifesto público a favor da extinção dos manicômios. Nascia ali naquela manifestação o Movimento Antimanicomial e instituiu-se o Dia Nacional da Luta Antimanicomial.
O Conselho Federal de Psicologia defende a Política Nacional de Saúde Mental amparada pela Lei nº 10.216 que garante o acesso aos usuários com transtornos mentais aos serviços disponíveis na rede pública de saúde mental. E se posiciona contra a decisão do governo em adotar as comunidades terapêuticas como principal instrumento de tratamento aos usuários de álcool e outras drogas, por entender que se trata da volta dos manicômios.
Para o CFP, é necessário reafirmar os valores e princípios da Reforma Psiquiátrica Brasileira no que diz respeito aos ideais de ampliação da esfera pública e de transformação social que motivaram essa importante conquista da sociedade brasileira.
A conselheira do CFP, Heloíza Massanaro, deixa claro que a luta é contínua. “Comemoramos o 18 de maio em luta porque já conseguimos, sem dúvida, mudar os rumos do atendimento da pessoa com transtorno mental e da pessoa com necessidades decorrentes do uso de álcool e outras drogas, mas precisamos garantir a todos o acesso a essa política. Temos muito o que comemorar, mas continuamos na luta”, conclui a conselheira.